Nota de Abertura do livro de oração "7 dias com o Senhor"

“Sangue de Cristo,

eis a arma dos nossos tempos”

(S. Gaspar de Búfalo)

 

Por P. Giselo Andrade

06 de Abril de 2017

 

Semana Santa com Jesus

 

Nesta última semana da quaresma queremos estar mais próximos ao Senhor Jesus que por amor aceitou entregar-se ao sacrifício da Cruz. Não podemos ser indiferentes a esta semana santa, um tempo especial da misericórdia de Deus para nós.

 

Iniciámos em 2014 esta experiência comunitária de encontro prolongado com o Senhor na adoração contínua ao Santíssimo Sacramento durante sete dias e noites, conhecido como “Cerco de Jericó” ou como preferimos dizer: “7 dias com o Senhor”. Um maravilhoso dom da graça de Deus!

 

Com renovado entusiasmo damos início a este IV Cerco de Jericó,  correspondendo ao convite de Cristo a participarmos da Sua paixão também neste ano tão especial de 2017 no qual a Igreja celebra o centenário das aparições de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

 

Com muita alegria vimos o Papa Francisco propor a toda a Igreja para a quaresma de 2016 a iniciativa “24 horas para o Senhor”, por ocasião do jubileu da misericórdia. O Papa pedia que as igrejas estivessem de portas abertas dia e noite para que todos, especialmente os mais jovens, pudessem viver um momento de intensa oração com Jesus Eucarístico e celebrarem a misericórdia de Deus no sacramento da Reconciliação. Também neste ano o Sumo Pontífice voltou a lançar o mesmo apelo na audiência geral de quarta-feira: "Desejo que também este ano tal momento privilegiado de graça do caminho quaresmal seja vivido em muitas igrejas do mundo para experimentar o encontro jubiloso com a misericórdia do Pai, que a todos acolhe e perdoa"(22.3.2017).

 

Pelo seu Sangue fomos resgatados

 

O tema deste ano é retirado do livro do Apocalipse: “Com teu sangue, resgataste para Deus, homens de todas as tribos, línguas, povos e nações” (Apocalipse 5, 9). O Sangue de Cristo é o preço do nosso resgate. A nossa liberdade foi conquistada por Jesus crucificado. N’Ele formamos o povo da nova e eterna aliança, livres da tristeza, da morte e do pecado. A Igreja de Deus não foi obtida com recursos do mundo mas foi “adquirida por Ele, com o seu próprio sangue” (Atos dos Apóstolos 20, 28).

 

“Uma só gota pode salvar o mundo de toda a culpa” (S. Tomás)

 

Toda a humanidade, sem excluir ninguém, é envolvida pelo amor de Deus nosso Pai que se manifestou no Sangue de Jesus. “Pois, há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, um homem: Cristo Jesus, que se entregou a si mesmo como resgate por todos” (1 Timóteo 2, 5-6). O mundo inteiro foi mergulhado no cálice de Cristo.

 

Diz-nos S. João Crisóstomo a quem quiser compreender mais profundamente o valor do sangue de Cristo: “Repara donde brotou e qual é a sua fonte. Começou a brotar da cruz, e a sua fonte foi o Lado do Senhor. Estando já morto Jesus, diz o Evangelho, e ainda cravado na cruz, aproximou-se um soldado, trespassou-Lhe o Lado com uma lança e logo saíram água e sangue: água como símbolo do Batismo, sangue como símbolo da Eucaristia”.

 

A devoção ao Preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo

 

O Culto do Preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo recebeu renovado impulso a partir da Carta Apostólica do Papa João XXIII a 30 de Junho de 1960 na qual aprova a Ladainha e  incentiva os cristãos a uma maior vivência do mês de Julho dedicado ao culto do Sangue de Cristo.

 

Das suas palavras retiramos o itinerário que nos vai acompanhar durante cada um destes sete dias de “cerco de Jericó”: “Porquanto, se infinito é o valor do Sangue do Homem-Deus, e se infinita foi a caridade que o impeliu a derramá-lo desde o oitavo dia do seu nascimento, e depois, com superabundância, na agonia do horto (cf. Lc 22,43), na flagelação e na coroação de espinhos, na subida ao Calvário e na crucifixão, e, enfim, da ampla ferida do seu lado, como símbolo desse mesmo Sangue divino que corre em todos os sacramentos da Igreja, não só é conveniente, mas é também sumamente justo que a ele sejam tributadas homenagens de adoração e de amorosa gratidão por parte de todos os que foram regenerados nas suas ondas salutares.” (nº 10).

 

São Gaspar de Búfalo (n. 1786 - + 1837), o maior apóstolo da devoção ao preciosíssimo Sangue

 

O Papa João XXIII definiu-o a “glória toda resplandecente do clero romano, verdadeiro e maior apóstolo da devoção ao Preciosíssimo Sangue de Jesus no mundo”.  S. Gaspar foi canonizado a 12 de Junho de 1954 pelo Papa Pio XII. Nascido em Roma em 1786 empenhou-se desde jovem em manter vivo o ardor da fé no povo cristão.  Quando as forças de Napoleão invadiram a Itália negou-se em prestar o juramento de fidelidade àquele imperador de acordo com as orientações do Papa, acabando por ser exilado e preso. Após a sua libertação recebeu do Papa Pio VII o pedido de dedicar-se às missões públicas para revitalizar a fé do povo após os tempos conturbados. Assim,  a 15 de Agosto de 1815 fundou a Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue entregando à Santíssima Virgem a sua proteção. Dedicou-se incansavelmente e com todas as forças ao apostolado até à data da partida para Deus em 1837.

 

 “O Sangue de Cristo é a chave do Paraíso” (S. Tomás): Apelo á Caridade

 

A devoção ao Sangue de Cristo não pode ficar limitada às palavras e orações mas deve conduzir-nos aos gestos e obras de caridade: “Temos, pois, irmãos, plena liberdade para a entrada no santuário por meio do sangue de Jesus. Estejamos atentos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras (Carta aos Hebreus 10, 19.24). O Evangelista também nos recorda: “Também o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para resgatar a multidão.» (Mateus 20, 28).

 

Centenário das Aparições com o Papa Francisco

 

Em 2017 celebramos o centenário das Aparições de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. O Papa Francisco presidirá ás cerimónias no Santuário nos dias 12 e 13 de Maio como “peregrino da esperança e da paz”. É um motivo de júbilo para todos nós que trazemos no coração a mensagem da Virgem Maria deixada aos pastorinhos.

 

Nestes “7 dias com o Senhor” convidamos a todos a participarem da nossa campanha do Rosário e oferecerem a oração do terço pelas intenções de Nossa Senhora, preenchendo e colocando o boletim junto à imagem de Nossa Senhora de Fátima na nossa igreja.

Conclusão

 

Com S. João Paulo II queremos terminar estas palavras de abertura da nossa semana de adoração dizendo: “O mistério do Sangue de Cristo é grandioso!”. No Sangue de Cristo contemplamos a nossa história pessoal e comunitária feita de alegrias e lágrimas, feridas e sorrisos. Unidos em comunhão fraterna com os olhos fixos no Senhor, alimentados pelo seu corpo e sangue,  subamos ao monte da cruz até  à Páscoa da Ressurreição.